SIBAPEM participa de reunião com Sérgio Moro

Foto Karim Kahn/Fiesp

presidente do SIBAPEM, Carlos Alberto Amarante, participou ontem da reunião expandida de diretoria da Fiesp, Ciesp, que contou com a presença do ministro da Justiça e Segurança Pública do Brasil, Sérgio Moro. O presidente da Fiesp/Ciesp, Paulo Skaf, e o ministro Moro assinaram acordo de cooperação técnica para oferecer capacitação profissional a detentos, por intermédio do Senai-SP, e pela Fiesp/Ciesp para a troca de informações sobre mercados ilícitos e combate e prevenção a roubo de cargas.

O ministro Moro salientou as ações do governo para garantir a segurança e apontou três objetivos principais: o combate à corrupção, ao crime organizado e à criminalidade violenta. Apresentou os resultados obtidos até o momento e destacou a redução da criminalidade em relação aos dados do ano passado. “O Governo Federal está trabalhando fortemente para reduzir a criminalidade e que a queda dos indicadores deve ser comemorada, mas ao mesmo tempo gera desafios. Se começamos bem, precisamos seguir em frente e terminar melhor”.

Ao final da reunião foi aberto espaço para cinco perguntas da plateia. O presidente do SIBAPEM aproveitou a oportunidade para falar sobre o combate à pirataria. Amarante lembrou que a assinatura do convênio é um dos frutos do trabalho que vem sendo desenvolvido pelo DESEG (Departamento de Segurança) e que conta com apoio do Sindicato. Ele contou ao ministro que recentemente detectou anúncios de venda de balanças, termômetros e medidores de pressão arterial para postos de Saúde em um site de e-commerce. Os equipamentos não possuíam qualquer certificação do Inmetro ou de outros órgãos de controle. “Fiz a denúncia ao DPDC (Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor) há mais de um mês e ninguém me respondeu até o momento.” Perguntou se esse era o caminho ou qual o melhor canal para a denúncia de casos pontuais.

Moro explicou que as ações acontecem em conjunto e que não é possível posicionar uma ação específica, mas que o caminho é recorrer ao DPDC, ao CNCP (Conselho Nacional de Combate à Pirataria) e demais órgãos de combate à pirataria. Amarante reafirmou a posição do SIBAPEM de continuar fazendo as denúncias, bem como continuar apoiando as ações do DESEG.