Sibapem prestigia posse do Presidente do conselho da ABNT

O presidente do Sibapem, Carlos Alberto Amarante, prestigiou ontem (09/03)  na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) a solenidade de posse do novo presidente do Conselho Deliberativo da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), Mário William Esper e do vice-presidente Amilton Mainard.

O presidente da Fiesp, Paulo Skaf, fez questão de parabenizar os novos diretores e ressaltar a importância da ABNT para os diversos setores da indústria. “Gostaria de renovar meu apoio a você (Mainard) e a toda a diretoria eleita. O que nós precisamos é fortalecer cada vez mais a ABNT, modernizá-la, agilizá-la para atender da melhor forma os interesses dos setores e do país.”

Após assinar o termo de posse, o presidente Mário Esper, ressaltou os desafios, lutas e conquistas que fizeram e fazem parte da trajetória da ABNT, afirmando que ela chega aos 80 anos mantendo o firme propósito de fornecer a base necessária para o desenvolvimento tecnológico do país.

Segundo ele, a Associação esforça-se para manter-se atualizada com o que ocorre nos cenários, regional, internacional da normalização e também oferece relevantes contribuições. “Precisamos trabalhar por menos leis e mais normas”. Hoje estão em atuação cerca de 300 Comitês Técnicos, que são responsáveis pela elaboração de mais de 8300 documentos normativos, sendo que 3 mil correspondem a textos de normas internacionais. 87% das normas técnicas correspondem à indústria “o que mostra a importância da participação e do envolvimento desse setor na normalização”.

Aproveitando a ocasião, Esper anunciou o acordo de cooperação técnica firmado entre a ABNT e o Ministério da Defesa, para a elaboração de 200 normas relativas a produtos de Defesa. De acordo com o Almirante Valter Citavicius Filho, o acordo de cooperação assinado em janeiro de 2020 prevê a criação de uma Comissão de estudo especial, com a participação da ABNT, Ministério da Defesa e das três Forças, tem como objetivo principal o planejamento e execução de atividades relacionadas à normalização técnica dos produtos de Defesa. “Temos uma expectativa grande, pois no final, a gente espera que a qualidade dos nossos produtos de Defesa melhore.”